domingo, 25 de setembro de 2016

O Diabo veste Prada 10 anos - lições de vida de um filme atemporal



Em 2016 o queridinho das fashionistas completa 10 anos - o tempo passa voando - e segue fazendo muito sucesso e dando lições de vida para muitas mulheres na batalha diária em busca da realização pessoal e profissional.

O filme é baseado no best-seller escrito por Lauren Wiesberger, lançado em 2003, ganhando sua adaptação para o cinema em 2006.

Andrea (Anne Hathaway) é uma jovem jornalista que busca sua colocação profissional, mas que nunca pensara em trabalhar no ramo da moda. Mesmo assim que ela consegue a vaga de assistente de Miranda (Meryl Streep), "editora-toda-poderosa" da revista Runway. Andrea passa por alguns sacrifícios e conflitos para se manter em um cargo - visto como glamouroso e que todas querem - e obter esta experiência profissional.



O filme nos traz algumas lições importantes, as quais algumas que eu já tinha como base de vida, mas que a abordagem pode ser claramente vista no filme:

- Toda experiência é válida - mesmo que não se saiba nada sobre o assunto.
Vemos diariamente pessoas se recusando a conversar sobre determinados assuntos ou a ter experiências diferentes no dia-a-dia. Muitas vezes isso ocorre por falta de conhecimento do assunto em questão e por receio de entrar em um mundo novo e diferente do seu. Ter opinião formada é maravilhoso, mas nunca deixe que o comodismo engesse os seus pensamentos e atitudes. Livre-se essas barreiras
Se Andrea tivesse recusado a vaga de assistente de Miranda, por não ser da área que ela queria, jamais teria essa vivência. O mercado profissional muitas vezes questiona o foco da carreira, mas hoje essa preocupação está em queda, pois o mercado está em busca de profissionais multitarefas e que possam contribuir com o seu know-how
O que importa é que toda experiência é válida. Vamos expandir os horizontes?



- A diferença entre a gestora e a líder.
No filme fica nítida a diferença entre a líder e a gestora Miranda. Como líder, ela é distante, inacessível, blasé e arrogante, não sabe ouvir e, como todo líder autocentrado, atribui o sucesso às suas qualidades e habilidades. Mas como gestora da revista ela é impecável, tomando as decisões na hora certa e sabendo lidar com o "joguinho" corporativo, aplicando toda a sua sabedoria e experiência profissional.
O problema é que saber lidar com pessoas e com impasses é parte extremamente importante do sucesso profissional. Existem líderes que desenvolvem sua influência indiretamente, como Bill Gates, por exemplo, que é um líder para muitas pessoas que seguem seus conselhos, mas estamos falando da relação em corporações, que é direta, então seria importante essa ligação e um nível de proximidade com os funcionários.
O líder não precisa ser distante para impor respeito, ele precisa liderar a equipe de forma que todos vejam a sua importância e tenham reconhecimento.



- Vida profissional e vida pessoal.
Aqui vem a parte que mais chamou a minha atenção no filme, Há quem diga que não se deve misturar a vida pessoal com a vida profissional, há quem se dê muito bem com isso e não veja problema algum em estar próximo das pessoas que amam no dia-a-dia profissional. 
A grande questão aqui é o quanto de trabalho que é levado para casa a ponto de não ser possível mais viver fora disso. É muito fácil e bem comum uma pessoa estar envolvida em seu trabalho bem mais que o período que está no escritório, especialmente quando a pessoa é workaholic
Emily, a outra assistente de Miranda, fala uma frase no filme que é impactante no que trata da questão profissional: "Só me avise quando sua vida pessoal virar fumaça. Isso significa que será promovida.". Andrea foca tanto no trabalho que termina seu relacionamento com o homem que ama, pois não conseguiu ser profissional e companheira ao mesmo tempo. Miranda é tão obsessiva com o trabalho que nem percebe o que acontece com a sua família, quando de repente o seu marido pede o divórcio. Isso infelizmente traduz muito a vida corporativa e o que o mercado pode exigir. 
Em qualquer nível profissional, não deixar que um aspecto da vida passe por cima do outro também é uma qualidade de um bom profissional. Jamais esqueça que existe vida fora do trabalho, apesar da nossa personalidade estar diretamente relacionada ao cargo e à profissão que exercemos. Já perceberam isso? Quem consegue responder um "quem é você?" sem mencionar a parte profissional?


As palavras que ficaram para mim depois desse filme foram: equilíbrio e empatia, pois o filme trata de questões profundas de obsessão pelo trabalho e de relacionamento interpessoal.  

Serviço:
O Diabo Veste Prada
Data de lançamento: 22 de setembro de 2006 (1h 50min)
Direção: David Frankel
Elenco: Meryl StreepAnne HathawayEmily Blunt mais
Gênero: Comédia
Nacionalidade: Estados Unidos

Fiquem com beijos meus e o olhar blasé da Miranda!
←  Anterior Proxima  → Página inicial

1 comentários:

Gabriela Stähler disse...

Um dos meus filmes favoritos! www.alemdolookdodia.com